quinta-feira, 18 de abril de 2013

ALGUNS DOS MUITOS MOTIVOS PARA SE ADERIR A GREVE NACIONAL EM GOIÂNIA


SINDICATO MUNICIPAL DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA

Goiânia, abril de 2013.                                                       Srª Secretária Neyde Aparecida da Silva

                                                          O SIMSED, Sindicato Municipal dos Servidores da Educação de Goiânia, que pauta suas ações em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade social, vem por meio desta, apresentar algumas das principais reivindicações dos trabalhadores da rede Rede Municipal de Ensino de Goiânia para melhorar suas condições de trabalho. Seguem abaixo questões pontuais e exigimos transparência, diálogo e participação na discussão dos problemas elencados. O que se espera da administração municipal é o comprometimento junto a categoria pela solução das questões levantadas.

1.    Piso Nacional: Reajuste do piso conforme a Lei 11738, aprovada e sancionada no ano de 2008. O menor vencimento a ser recebido atualmente por um trabalhador do magistério em início de carreira deveria ser de R$ 2327,81.

2.    Agentes Educativos: Nos últimos concursos foi exigido o diploma de magistério para esses funcionários, e estes desempenham atividades pedagógicas de suma importância nas unidades educacionais. Estes fatores dão a esta categoria o direito de enquadramento na lei do piso.

3.    Funcionários Administrativos: Esses profissionais querem a data base garantida e valorização salarial real. Além disso, não são respeitados e valorizados pelo poder público enquanto trabalhadores da educação.

4.    Planos de carreira:

A)   Administrativo: não atendeu as demandas da categoria e não está sendo cumprido (mudanças de letra engavetadas);
B)    Agentes Educativos: não há plano de carreira para esta categoria. Exigimos sua discussão, elaboração, aprovação e aplicação;
C)   Magistério: não há transparência da discussão e nem propostas que apresentem avanços. Exigimos discussão de demandas como universalização da regência de classe e do difícil acesso, licenças, progressão anual, entre outras;

5.    Estrutura física das instituições escolares: Maior transparência e investimento em relação a estrutura física das escolas e Cmeis, pois várias destas unidades estão sucateadas. Muitas não possuem quadras cobertas, laboratórios de informática, salas de leitura, pintura e etc.

6. Diretrizes: Discussão ampliada das diretrizes no início do ano letivo. Retorno do planejamento coletivo semanal, discussão do modelo original do ciclo, escola dos administrativos em Janeiro, etc.
  
7.    Autonomia nas escolas: Deliberações devem partir do coletivo tanto discente, docente, administrativos e da comunidade.

8.    Contratos: Que os contratos sejam regidos pela CLT com todas as garantias trabalhistas

9.    Readaptados: Os funcionários readaptados que, por problemas de saúde, saíram de suas funções originais devem ter o direito de participar de cursos oferecidos pela SME para terem acesso às progressões, além precisarem de melhores condições de trabalho.

10. Situação do IMAS: absurda a situação de precarização que se encontra o IMAS. Exigimos, investimento, prestação de contas e reestruturação do IMAS. Ou a adoção de um outro plano de saúde.
            
Sabemos que existem 1001 outras demandas. Elencamos algumas principais para aderir, justificar a paralisação nacional de 3 dias em Goiânia. Esperamos mais contribuições! Entregaremos estas demandas como abaixo assinado na Quarta-feira, dia 24 de abril, durante a manifestação na SME-Goiânia.

A FORÇA DE UM É A FORTALEZA DE TODOS NÓS!

5 comentários:

  1. Outro motivo de aderir a greve é o funcionamento de 2 CMEs de cada unidade nas férias de julho de 2013, projeto do Vereador Agenor Mariano, quem irá trabalhar são os contratos, que não tem direito à férias.

    ResponderExcluir
  2. Aumento dos dias letivos de 200 a 220 dias letivos.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. boas considerações...estas e outras demandas serão melhor discutidas no ato público de quarta feira. Com certeza são de extrema importância. Propostas demagógicas que reforçam o ideal dominante de instituições escolares como "depósito de crianças"

    ResponderExcluir
  5. vamos ter de botar a boca no trombone literalmente.a educação está virando instrumento eleitoreiro. e nos professores é que pagamos a conta.

    ResponderExcluir